quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Mais uma foto... mais uma mão cheia de recordações...

(Clique na imagem para ampliar)

Talvez porque o dia amanheceu já triste, o horizonte ameaça alteração do estado do tempo, o que é certo é que está convidativo à meditação.

E nada como uma boa reflexão.

Quanto tempo decorreu desde que nos tiraram esta foto? Pouco interessa, mas que já lá vão muitos anos... que se foram e nunca mais voltarão!

Mas também que importa? O que importa, é o que resta desses bons tempos em termos de amizade e companheirismo.

Amizades essas que ainda perduram no tempo e com as quais mantemos elos de ligação alguns muito fortes... outros nem tanto, por uma questão de atitude dos mesmos, que resolveram alhear-se de antigos companheiros com os quais outrora caminharam lado a lado... cada um fez a sua escolha e tomou o seu rumo! É assim a vida...

Neste preciso momento interrogo-me porque estou a postar esta foto.

Será que os que nela constam algum dia irão vê-la? Duvido. E se a virem? Terão conhecimentos ou vontade para comentarem? Talvez sim... e talvez não!

Mas também pouco importa! A vida é mesmo assim. Cada um nasceu com um destino traçado e a ele ninguém foge. E como cada dia que passa é menos um dia na vida de todos nós, hoje resolvi dar mais um impulso neste blog, que foi criado a pedido de uns quantos entusiastas que sonhavam aqui poder relatar as suas aventuras, cumprindo um desejo do Padre Valente!

Pena é que esse entusiasmo fosse passageiro. Acreditem que o lamento deveras.

Inclusivé já me interroguei se realmente esse colégio existiu e acreditem ou não, se não fossem as fotos que conservei do passado, até diria que estava com alucinações! Mas não... não estou.

A Escola D. Francisco de Almeida, ainda lá está de pedra e cal. Claro que o nome da mesma mudou.

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades - já o dizia Luís Vaz de Camões!

Resta o edifício recuperado, restam as minhas fotos e a memória fresca da Emilinha Pereira, que me ajudou a relembrar o nome de algumas colegas dos nossos tempos, para que esta foto fosse hoje colocada!

Para ti, Emilinha, aqui vai o meu kanimambo e um beijinho.

Não vou falar da Professora Maria Helena Geada, já que não cheguei a ser sua aluna, mas era considerada como a "má da fita"... pelo menos era o que circulava no colégio!

Se algum ou alguma das suas alunas ou alunos me estiver a ler e pretender dissertar um pouco sobre a mesma, seria interessante!

A arquitecta Maria de Lourdes Rodrigues foi minha professora de desenho.

Muito competente e dedicada não só à disciplina que leccionava era também a organizadora de teatros, onde planeava tudo ao pormenor, desde os trajes, pinturas, decoração, textos e poesias para declamarmos. Tudo estava sobre os seus ombros. E acima de tudo, era um ombro amigo, com o qual se podia contar nos momentos de preocupação. Era nossa conselheira, tendo sempre uma palavra de carinho, uma orientação, um sorriso de tranquilidade que depressa incutia em nós a vontade de prosseguirmos com os nossos estudos, esquecendo certos contratempos noutras disciplinas!

Soube há dias pela Elisa Pereira Damas que a mesma se casou quando regressou a Portugal, onde reside.

Era tão bom que ela um dia pudesse ter acesso e participar neste blog! Quem sabe... um dia!

Lena Sousa
21.08.2008

Um comentário:

Carlos Macoo disse...

Obrigado mais uma vez cara amiga. Com esta foto pude rever gente ke nao vejo ha cerca de 40 anos, que embora nao sendo minhas coetaneas ainda as encontrei a maior parte no nosso amado Colegio. Uma ou mais destas colegas nem eu nem ninguem jamais as veremos vez alguma neste mundo.

Por isso mesmo, quero paticular e sentidamente agradecer-te plo facto desta foto me ter permetido rever a minha saudosa irma Judite Macoo, trajada com a farda do COlegio e ladeada pelas amigas de que tanto nos falava. Nem eu, nem os filhos temos ou mesmo ja alguma vez vimos esta foto! Como podes ver, com este teu gesto, fizeste-me reviver momentos emocionantes ke vou partilhar com filhos e netos dela e ainda com a minha irma Josina e o Zeca Gamito so pra citar alguns. Certamente comenta-la-ei com mutas mais pessoas que tiveram a alegria de conviver com estas nossas colegas que deram luz e cor ao ColegIo de Sao Paulo nos seus primeiros anos de vida.

Vivam os que pelo sua inteligencia e vontade inquebrantaveis, realizam o que muitos acham que deve ser feito, mas poucos sao capazes de concretizar!

Eu me confesso

Carlos Macoo