sábado, 10 de janeiro de 2009

Notícias sobre o ensino em Cabo Delgado

Notícias sobre o ensino em Cabo Delgado.
Educação em Cabo Delgado: Metas de 2008 cumpridas acima dos 100 porcento - segundo o balanço de Antwia Soverano, directora provincial do sector.

Em 2008, a Educação em Cabo Delgado ultrapassou as suas metas na rede e efectivos escolares, conforme diz a directora provincial do sector, Antwia Soverano, numa entrevista que concedeu ao nosso Jornal, esperando que no presente ano volte a repetir-se o mesmo sucesso, que fez com que mais 55 escolas entrassem em funcionamento no ano passado, elevando assim o número de estabelecimentos de ensino para 1094, mais uma escola em relação ao que o plano referente ao período diz respeito.

Maputo, Sábado, 10 de Janeiro de 2009:: Notícias.
Para assegurar o ensino na província, conforme a fonte, haviam sido contratados 796 professores para todos os níveis de ensino, o que correspondeu a uma realização de 100 porcento, salientando ainda que destes apenas 26 não tinham a competente formação psico-pedagógica. Mesmo em termos de alunos matriculados, Cabo Delgado teve uma realização de 92 porcento, por ter conseguido 392.469 alunos dos 424.104 planificados, facto que indica ter havido um crescimento de 8 por cento quando comparado com o que existia em 2007.

“Por outro lado, introduzimos o Ensino Secundário nas sedes distritais de Palma, Nangade, Ancuabe e postos administrativos de Metoro e Miéze. Do mesmo modo, levamos o Ensino Secundário à Distância a cinco distritos, nomeadamente Macomia, Montepuez, Nangade, Chiúre e Pemba-Metuge. Para tanto, tivemos que capacitar 175 professores da oitava classe para a introdução destes programas”, explica Antwia Soverano.

O sector funcionou sob um orçamento de 472.758.140,00Mt, que teve a execução em 111 por cento alegadamente devido a razões que têm a ver com os salários, na componente horas extraordinárias e o segundo turno dos professores. O investimento foi de 28.147.100,00Mt, que teve uma execução na ordem dos 57 por cento, em razão do início tardio dos projectos.

A directora provincial da Educação e Cultura disse que em 2008 o aumento progressivo da relação aluno/professor e aluno/turma, a má conservação do livro propriedade da escola e a falta de equipamento informático em algumas escolas foram alguns dos constrangimentos que urge evitar em 2009, para o que se impõe a contratação de mais professores, prosseguir a sensibilização dos pais e encarregados de educação para a conservação e recolha do livro propriedade da escola, equipar em meios informáticos as escolas deles carentes, em particular as secundárias de Balama e a “Luanda”, em Muidumbe.

Antwia Soverano não anda satisfeita, igualmente, em relação à prestação dos empreiteiros que abraçam as obras do seu sector, e pensa aplicar medidas que os forcem a cumprir com os prazos e sugerir aos governos distritais para apostarem nas comunidades. Na verdade, desde 2005 que os projectos de construção de escolas conhecem revezes impostos pelos empreiteiros. Na altura, projectavam-se salas de aulas nos distritos de Pemba-Metuge, Ancuabe e Chiúre, em que só esta última conseguiu concluir em 2006, para um ano depois ser a vez dos outros, mais Mecúfi. Não foram concluídas as escolas de Mahate e Maringanha, na cidade de Pemba, as escolas de Macomia, Quissanga e Nangade, nos distritos dos mesmos nomes, o que obrigou a que, já em 2007, o processo fosse descentralizado para os distritos.

“Mesmo assim encontramos situações em que os mesmos empreiteiros não cumprem com os prazos em alguns distritos e entretanto são elegíveis noutros pontos da província” - lamenta a directora de Educação e Cultura de Cabo Delgado.

Sendo assim, das 199 salas de aulas projectadas estão concluídas 126, sendo que as outras encontram-se a cumprir os aspectos burocráticos que, infelizmente, ainda emperram na Função Pública.
- Notícias - 10.02.200
Lena Vilas Boas Sousa.

Nenhum comentário: